quarta-feira, 16 de maio de 2012

Enfim, a realidade.....



Estava na hora de tudo acabar realmente, eu não olhava mais para mim, tudo girava em torno de cuidar do que ele precisava, sexo a sua maneira, janta todas as noites, lavar suas roupas, a sua faculdade, o seu tempo de sono, o seu futebol dos domingos, a sua quantidade de sono nos sábados até às 16:00. Não existia um final de semana que eu solicitasse : - Vamos acordar mais cedo e dar uma volta, ir em algum museu, tirar algumas fotos, e recebesse como resposta um : - Sim! O que eu escutava de retorno, era que ele trabalhava e estudava a semana inteira, que não tinha vontade de sair e blá, blá, e descansar e fumar um, e foder, e dormir e assistir futebol.
Eram tantas coisas para pensar em agradá-lo que eu não conseguia fazer nada, já que era para ficar em casa, encher a cara assistindo televisão era o melhor que se tinha a fazer para ficar ao seu lado.
- Querida engorde mais um pouco, gosto de mulheres gostosas. Querida, você não parece tão magra quando como eu te conheci.
- Querida comprei estas calcinhas para você. Agora se ajoelhe e chupe meu pau do jeito que eu gosto.
- Querida, estou com fome, mas não coloque o tempero x na minha comida, porque se não eu faço de conta que como ou eu arrumo uma maneira de discutir e não comer.
É eu ficava tão apavorada que as coisas não ficassem do seu jeito que me irritava com tudo, me esquecia, só queria me esconder atrás de copos e tragos, fosse café álcool, maconha ou nicotina.
Não tinha vontade de existir porque não conseguia atender as exigências, ou aquilo que eu pensava que fosse exigência.
Estava tudo destruído e eu tentava colar os pedações para manter um vaso quebrado, sem sustentação alguma.
Me pautava em ótimas lembranças que tivemos, na primeira vez que eu vi ele descer de um avião para me encontrar e eu o acompanhar com os olhos até o esperado abraço.
Meu coração disparava quando ele me olhava nos olhos e penetrava em meu corpo com a delicadeza e ardência dos apaixonados.
Quando gargalhávamos até o ar acabar depois de cair no chão brincando de pega-pega pela casa dos seus pais.
Há tantas lembranças boas que eu não acreditava que tudo tivesse um fim.
O passado glorioso era uma venda que não deixava perceber.
Hoje é o último dia que eu pretendo fazer luto, afinal é besteira permanecer louvando alguém que não está mais entre nós.


3 comentários:

  1. A vida continua. Fico feliz por saber que vc tem conhecimento disso! Que daqui pra frente seja diferente - de um modo positivo.
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. oi querida a vida realmente continua se cuida querida é muito ruim quando algo assim acontece com a gente,mas n fique assim bjo

    ResponderExcluir
  3. Uau!A-do-re-i o texto.
    Eu quero mesmo que hj seja seu último dia de luto.Quero q vc descubra que tem valor,que é uma mulher linda!
    Ele naum te merece,nem lagrimas,nem luto e nem nada
    Busca sua felicida daqui em diante
    Bj

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário. Em breve será liberado para a visualização.