sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

...




Sinto a sua falta e não posso dizer, 
embora diga com meus atos, com minha negação e quando de fato digo que sinto sem saber de verdade qual é o sentido de tudo isso.
Enquanto uma porta se fecha por uma costas e tudo parece se abrir, 
um peito me oferece todos os defeitos que tenho, me ensinando porque o amor não é bom se doer ao contrário do que Vinicius disse, 
e eu acreditava; 
então se for seguir a linha de raciocínio, isso que me toma não é o sentimento citado; ou acabei de entender certas coisas que eu deveria ter visto para não ter perdido o meu ideal, extremamente romantizado. 
E hoje Narciso serei eu, se é que desde de  ínicio não fui.

2 comentários:

  1. "ou acabei de entender certas coisas que eu deveria ter visto para não ter perdido o meu ideal, extremamente romantizado."
    É o que me ocorreu dia desses.
    Acontece.

    Obrigada pelo apoio, é sempre bom te ter "por perto".

    ResponderExcluir
  2. Ah Noivinha...

    Talvez Vinicius nos tenha dito na mais pura das intenções, e desgraçadamente a realidade insiste em mostrar-nos o contrário!
    Saudades de quem se ama é algo muito grande para conseguir disfarçar, podemos até negar com as palavras, mas o corpo e a alma dizem o inverso em público, só pra te ruborizar, e que Noivinha mais linda ruborizada deves ser!
    O raciocínio lógico faz pular as melancolias dos porquês, afinal por que ele se foi mesmo?
    E tragicamente voltamos à estaca zero:
    O ser amado se foi porque havia demais dele dentro de nós,e encarar o reflexo de si nos outros é insuportável.
    Que mal há em ser narcisista?
    Não deixa de ser uma forma de amor, amor próprio, como disse o poeta:

    "Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão..."


    Beijos

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário. Em breve será liberado para a visualização.