quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

As pedras do muro em volta do Castelo



Quando me questionaram: Porque você não simplesmente se permite ser feliz? 
Eu encarei, senti uma porrada no coração, um abismo, mas não caí, desviei o assunto. 
Não lembro o que para ser exata; mas o interessante é que o questionamento ficou parado, e incomodou...
Durante seis anos de convivência escutei que eu não era capaz de me cuidar sozinha, que ante um rompimento, teria que voltar para minha família. Que eu sempre precisaria de alguém para me monitorar ou me acompanhar. 
Fui condicionada a escutar um mantra absurdo de desmotivação, na qual eu era a protagonista de uma vida fracassada, com uma personalidade fraca, uma pessoa frágil, incapaz.
Lógico com o tempo, acreditei em tudo. 
Não ser capaz impede de ser feliz não?
Hoje, não sou título de coisa alguma esperando por algo ou alguém.
Eu consigo, e posso, porque não preciso de mãos que me direcionem, enxergo a direção, e a felicidade que me guie.
Não existe mentor se não minhas próprias regras...
As pedras do muro em volta do Castelo,
                                      eu coloquei o primeiro bloco de pedra hoje às 08:30 da manhã.



Um comentário:

  1. Já ouvi algo semelhante, do tipo c uma comparação c a Júlia Roberts no filme closer(alguma cena sobre ela não ser feliz pq botou na cabeça q não pode ser feliz ou algo do tipo). Como se eu criasse/inventasse, nutrisse e depois me tornasse vítima da minha depressão/sd do pânico/déficit de atenção/tr. alimentar/Piti da vez.

    Acho difícil encontrar coisas que me fazem feliz, mas se vc tem essa bússola faça ótimo uso dela!!

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário. Em breve será liberado para a visualização.