segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Loucura




Investi na loucura o máximo que pude, Erasmo teria orgulho e me faria um elogio. Diria que completei a encenação em conformidade com a incredualidade que incomoda as pessoas.
Caindo entre trilhas de grama e areia na neblina desenterrei sentidos e enterrei objetos.

Encontrei meu coração  enferrujado pelas mãos do acompanhante.

Encerrei o dia sorrindo falsamente com um brilho envaidecido de que alguma partícula ficou fora do lugar.

Não há troféu para aqueles que interpretam à vista dos insensíveis.

O que pulsa no meu lado esquerdo é de aço.
Meus dedos laço que a caneta expressa indubitável obséquio de dor. A falta de amor no corpo que levanta embriagado sob olhares de canto. Sem socorro no ato e sermão na segunda-feira.

Enquanto estive na beira quem me deu o braço?
Os expectadores que sorriem são os mesmos que de face santa julgam o espetáculo.
E eu?
Desatino a irrealidade da parcialidade essencial sem me importar em perder já que não tenho muito.

Posso falar de flores ou lama poucos prestam atenção no verdadeiro sentido. Sem drama em relação aos fatos. Fardada é minha indecência para desviar a atenção, e os dedos que apontam apodrecem por ausência de argumentos uma vez que os espelhos de suas casas estão quebrados.


11 comentários:

  1. Estou entorpecida de tantas palavras.... Adoro seu modo de se expressar.
    Apenas uma pergunta: O que seria essa foto?

    Abraços da Lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a foto de um objeto semelhante a um coraçao que eu e o braço que me acompanhou dito no texto encontramos enterrado na praia

      Excluir
    2. Que legal, adoro fotografias. Sério, estou amando o seu blog.
      Obrigada pela atenção, e pela visita no meu blog.
      Abraços da Lua

      Excluir
  2. O poema está impecável! Muito bom!
    Mas vc tem certeza de que este objeto não é uma bomba?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem Arnaldo se é uma bomba não está muito longe de ser o que possuo abaixo da caixa toráxica.
      Obrigada pela visita.

      Excluir
    2. Passei pra reler.
      Desativado mas potencialmente latente.

      Excluir
  3. olá anjo
    espero que esteja bem
    forças
    meu cantinho : http://pikeennaborboleta.blogspot.com.br

    bjs da pikeenna

    ResponderExcluir
  4. Riqueza de palavras, seu texto está... Inexplicável. Simplesmente perfeito!


    ResponderExcluir
  5. Realmente, parece uma mina. Lindas imagens criadas com palavras, mas fico com uma impressão de tristeza e profunda sensibilidade por trás da descrição do que seria a insensibilidade(corações de aço etc)
    Continue escrevendo :)

    ResponderExcluir
  6. Ah Noivinha...

    Não importa mesmo se os teus textos falam sobre flores ou lama!
    A verdade é que todos nós mortais ficamos deslumbrados com a perfeição das tuas palavras, e enquanto enfeitiçados pelo teu dom de escrever nos esquecemos de reflexionar.
    Quem consegue argumentar diante deste deleite para os olhos?

    Beijinhos ^^

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário. Em breve será liberado para a visualização.